As três melhores linhas de eléctrico para ver Lisboa

Detectámos que tem um Ad Blocker ativo.

As receitas provenientes da publicidade permitem-nos continuar a produzir artigos de qualidade. Considere desligar o Ad Blocker neste site. Obrigado pelo seu apoio.

electricos de lisboaO eléctrico é um dos melhores meios de transporte para deslocações em Lisboa e ao mesmo tempo para fazer uma visita turística. Faz parte da experiência de visitar a capital portuguesa. Ao escutar o som característico das suas campainhas e vê-los passar com a sua tradicional cor amarela, não há quem resista em dar uma voltinha.

A cidade conta com vários percursos, mas as três melhores linhas de eléctrico em Lisboa para o turista são as seguintes:

  • O famoso eléctrico 28, une o Martim Moniz e o Cemitério dos Prazeres, atravessa os históricos bairros da Graça e de Alfama, passa por destinos mais elegantes como o Chiado, a Estrela e o Campo de Ourique, combinando num percurso de dez quilómetros, a Lisboa histórica e a Lisboa contemporânea.
  • O eléctrico 25 partilha uma pequena parte do percurso com o eléctrico 28 e é uma alternativa muito interessante. Circula entre a Casa dos Bicos, que alberga actualmente a fundação José Saramago, a Estrela, passando pela Lapa e pela Madragoa (esta é a diferença com o percurso anterior). Chegando ao bairro de Santos e sobre o rio Tejo, podemos observar a Ponte 25 de Abril. Mesmo sem ter um percurso estritamente turístico, o eléctrico sobe e desce por ruas tão estreitas que surpreende apenas pelo facto de conseguir lá passar.
  • O eléctrico 18 sai da Rua da Alfândega e termina o seu percurso no Cemitério da Ajuda. O percurso demora cerca de 35 minutos e passa por locais típicos da cidade, como a Praça do Comercio, de onde é possível contemplar o rio Tejo e a sua actividade portuária. É também possível ver a Igreja do Corpo Santo, que data do século XV, o Palácio da Ajuda, lugar de residência da família real no século XIX.

É possível consultar neste link o custo actualizado dos bilhetes simples e do bilhete diário.

Foto: Trams aux Fils

Deixe o seu comentário