Borobudur

Detectámos que tem um Ad Blocker ativo.

As receitas provenientes da publicidade permitem-nos continuar a produzir artigos de qualidade. Considere desligar o Ad Blocker neste site. Obrigado pelo seu apoio.

borobudurBorobudur, ou se preferir “santuário dos incontáveis budas” é considerado o maior monumento budista do planeta. Ele fica na região central da ilha, perto da cidade de Magelang, e cerca de 40 quilómetros da cidade de Jogiacarta, que seria o lugar adequado para iniciar a aventura com destino as ruínas.

Tal construção exigiu milhares de trabalhadores, e muitas décadas. Para a obra, os trabalhadores do campo desenvolveram uma estrutura de pedras (sem cimento) acima de uma montanha em Java. Com isso, supõem-se que eles a utilizaram para transportar por volta de um a dois milhões de pedras enormes, sem qualquer manipulação de técnicas ou ferramentas da engenharia moderna. Seus objectos eram: cordas, martelos, carrinhos de mão, e o essencial, músculos.

Acredita-se que fora edificada o templo no século VIII, sendo um templo hinduísta. Posteriormente tornara-se budista. No ano 1000 o local foi soterrado pelas cinzas de um vulcão, e consequentemente no decorrer do tempo foi apagada da visão de todos, encoberta pela selva. Passados quase um milênio, foi redescoberta no ano de 1814, através de escavações arqueológicas.

As esculturas são ricas em detalhes. Elas foram chamadas de “rosário budista feito de pedras”. As esculturas estão num caminho ascendente às ruínas, com 5 quilómetros de extensão. Ela representa a jornada do espírito do homem na busca da perfeição espiritual.

Na proximidade da base do templo, relevos que revelam a “Esfera do Desejo”, com gravuras simbolizando os prazeres e castigos da terra. Já quatro níveis acima a “Esfera da Forma”, com cenas em relevo da vida do príncipe Siddhartha, conforme ele progredia em sua elevação espiritual como Gautama Buddha.
Em seu interior há mais de 1.200 painéis em baixo-relevo, espalhados em todos os níveis do templo expressando a sua crença. Nelas também se retratam cenas da vida da Indonésia, mais de mil anos atrás, abordando a vida de fazendeiros, músicos, dançarinas, assim como descrições de navios, elefantes, e obviamente reis. São registados também mais de 400 budas pelo caminho.

Nos outros níveis constam três terraços circulares. É a “Esfera Amorfa”, em que 72 stupas, que seria uma espécie de mausoléu em formato de torre, sustentam as estátuas de Buda. Acredita-se que ao tocar numa das imagens lhe traga bons fluidos, enfim, sorte. Na stupa central, determina-se o fim de sua peregrinação pelo local, onde é representada neste pico a libertação do homem para a paz superior. Seria, simbolicamente falando, o estágio cujo individuo alcançou o centro do universo, em seu próprio eixo.

Borobudur passou por duas restaurações. A Unesco promoveu tal projecto de reconstrução e recuperação, que findou em 1983. O templo é um magnífico local para a peregrinação de budistas, assim como uma forte atracção turística, a mais popular da Indonésia.

Deixe o seu comentário