A Gruta de Lascaux

Detectámos que tem um Ad Blocker ativo.

As receitas provenientes da publicidade permitem-nos continuar a produzir artigos de qualidade. Considere desligar o Ad Blocker neste site. Obrigado pelo seu apoio.

lascauxLascaux é uma caverna localizada no vale do Vézère, no sul da França, próxima de Montignac (Dordogne). Em seu interior nos deparamos com imagens, das quais muitos a consideram como a “Capela Sistina” da arte paleolítica. Preenchidas nas paredes e tectos estão preservadas pinturas e gravuras oriundas do período da pré-história, em tons amarelos, vermelhos, pardos e negros.
As pinturas rupestres representam diversos animais como bovídeos (alguns medindo quatro metros de comprimento), cabras, felinos, cavalos,cervos com formas geométricas,etc. Estudiosos acreditam que o lugar poderia ser uma espécie de santuário, mas de concreto só se pode afirmar acerca de sua cronologia, utilizando o carbono 14 para chegar a uma data aproximada. Algumas figuras foram datadas de 17.000 anos AP (termo arqueológico que significa “Antes do Presente”). Outras formas gráficas foram criadas mais recentemente, por volta de 15.500 AP.
A descoberta do local foi ao acaso, no ano de 1940. Quatro rapazes brincavam nas proximidades do rio Vézère quando a encontraram. Logo avisaram ao seu antigo professor e assim os primeiros olhares voltavam-se aos achados históricos, distribuídos por 235 metros de extensão da gruta. Ao longo do tempo foram catalogadas as imagens ali deixadas e de 1952 a 1963 foram listadas 1.433 representações. Nos dias de hoje já se tem por volta de 1.900.
Inicialmente gerou espanto, polémica, discussões arqueológicas, avançando para diversas especulações sobre o alcance simbólico das pinturas. Tal alvoroço atraiu rapidamente o turismo. Lascaux chegou a ter mais de 1.700 visitas diárias e como consequência houvera um desequilíbrio na gruta. No final dos anos 50 estudos revelaram que o excesso de gás carbónico, através da respiração dos visitantes, causou deteriorações nas pinturas. Por esta razão, em 1963 a caverna foi fechada, encerrando quaisquer visitações turísticas.
Ainda sim, a acção humana não deixou de afectar Lascaux, o aquecimento global tem modificado o equilíbrio interno, vindo a ter mofo branco e manchas negras acentuadas nas pinturas. Também com os aparelhos de assistência climática, surgiram cogumelos e fungos que encontraram um clima propicio para o seu desenvolvimento. Naturalmente os aparelhos foram trocados e as manchas estão sendo combatidas com tratamento biocida localizado. O resultado tem sido positivo.

Para resolver a questão do turismo foi tomada uma medida bastante interessante. Em 1983 foi inaugurada uma réplica, o Lascaux II. Lá, foram construídas partes representativas da caverna (bovídeos, cavalos, cervos, cabritos, e a “Sala dos Touros”).Uma dupla camada de concreto permitiu a produção fiel da caverna. Ela está cerca de 200 metros de distância da original.
As demais figuras que estão em Lascaux, foram reproduzidas e expostas no parque do Thot, a alguns quilómetros de Montignac.

A gruta de Lascaux foi declarada Património da Unesco em 1979, junto de outros sítios e grutas ornamentadas do vale do Vézère.

Booking.com

Deixe o seu comentário

SUBSCREVER GRÁTIS

Subscreva a nossa lista de email e receba novos artigos e actualizações comodamente na sua caixa de email.

Obrigado por nos subscrever.

Algo correu mal...

Os cookies ajudam-nos a fornecer os nossos serviços. Ao utilizar os nossos serviços, concorda com a utilização de cookies. Saber mais

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close