Sentir o fado

Detectámos que tem um Ad Blocker ativo.

As receitas provenientes da publicidade permitem-nos continuar a produzir artigos de qualidade. Considere desligar o Ad Blocker neste site. Obrigado pelo seu apoio.

Trago fados nos sentidos

Tristezas no coração

Trago os meus sonhos perdidos

Em noite de solidão

Trago versos, trago som,

De uma grande sinfonia

Tocada em todos os tons

Da tristeza e da alegria

Trago amarguras aos molhos
Lucidez e desatino
Trago secos os meus olhos
Que choram desde menino
Trago noites de luar
Trago planícies de flores
Trago o céu e trago o mar
Trago dores ainda maiores

Trago fados nos sentidos – Amália Rodrigues

 

fadoNascido dos sentimentos mais intensos dos bairros humildes, da nostalgia, da melancolia, dos sonho perdidos e da fatalidade, o fado vem das profundezas da alma, indo directo ao coração… o fado, o destino tornado música.

De origem desconhecida, ou pelo menos incerta, da mais profunda das tradições e cultura portuguesas, surge o fado. Melodia para os ouvidos, musica para a alma. Acompanhado pela guitarra portuguesa com o seu som característico e inimitável, sai da garganta dos fadistas para nos fazer viver uma experiência única e inesquecível. É de noite e apenas umas velas tristes iluminam a sala, naquele cantinho, por momentos lúgubre, do típico bairro de Alfama em Lisboa.

Hoje, Lisboa (ver hotéis em Lisboa) oferece-nos todo um percurso pela história do Fado, começando pela já mítica Amália Rodrigues, uma cantora ao nível de outras cantoras internacionais como Edith Piaf ou Ella Fitzgerald. Para conhecer mais um pouco da sua história, podemos visitar a Casa-Museu Amália Rodrigues, onde é possível reviver uma parte da vida da grande fadista, onde podemos ver os seus vestidos, as suas jóias, e naturalmente, ouvir a sua voz mágica.

Mas o bairro de Alfama também esconde um labirinto de ruas, ruelas e esquinas escondidas, onde é possível descobrir um bom espectáculo de Fado na noite lisboeta, como o Parreirinha de Alfama, ou o Senhor Vinho.

fado de coimbraTambém podemos ir até ao bairro da Mouraria, onde nasceu a Severa, conhecida como a primeira fadista, ou então dirigir-nos ao Clube do Fado, local onde é possível aprender um pouco sobre este estilo de vida e a sua história. Lojas, casas de discos… nas ruas de Lisboa abundam as lembranças dos sons nostálgicos do fado, um dos sons que melhor traduzem o sentimento da alma nacional.

Principalmente durante o mês de Maio, esta música também se espalha pelas ruas antigas da cidade de Coimbra, essencialmente e devido à conhecida “Queima das Fitas“. Os sons do Fado de Coimbra são diferentes do Fado cantado em Lisboa. Aqui o Fado celebra a saudade e ligação dos estudantes à cidade que os acolheu e instruiu. Se possível, não perca a serenata das escadas da Sé Velha. Sem dúvida um espectáculo, único, emocionante e inesquecível. Caso contrário, experimente visitar o bar “A Capela”, onde pode também se pode assistir a um espectáculo com o típico fado de Coimbra.

Severa, Amália Rodrigues, Mariza ou Camané… nomes guardados na cultura de Portugal, nomes que ficam para a historia.

Booking.com

Deixe o seu comentário

SUBSCREVER GRÁTIS

Subscreva a nossa lista de email e receba novos artigos e actualizações comodamente na sua caixa de email.

Obrigado por nos subscrever.

Algo correu mal...